Tratamento que sua piscina merece.

DICAS IMPORTANTES SOBRE TRATAMENTO QUÍMICO

  • Piscinas com alta frequência de uso ou uso quase ininterrupto (tais como piscina de clubes e escolas de natação) devem ser tratadas de forma diferenciada, não só no que se refere a escolha do cloro, como também a forma e dosagem com que estes produtos serão aplicados;
  • Piscinas exposta ás intempéries estão sujeitas à contaminação devido a chuvas, insetos e poeira. Além disso, sob a ação do sol, o cloro comum utilizado para desinfetar e sanitizar a água se perde por degradação. Esta perda de proteção aliada à chuvas podem acarretar variações bruscas na qualidade da água. Por este motivo, piscinas ao ar livre devem utilizar um cloro não suscetível a degradação pelos raios solares;
  • Piscinas aquecidas devem ser tratadas de forma diferenciada daquelas sem aquecimento. Águas aquecidas favorecem a proliferação dos micro-organismos causadores de doenças, além de aumentar a produção de suor dos banhistas, elevando a carga de matéria orgânica na água;
  • Quando for acrescentar um produto para corrigir uma grandeza físico-química de uma piscina, faça um cálculo através de tabelas apropriadas e acrescente em torno de 70% do produto corretor. A seguir faça as necessárias medições após um ciclo de filtração e acrescente a quantidade necessária para corrigir totalmente a grandeza em questão. Lembre-se: é fácil acrescentar produto e difícil retirar;
  • Testes microbiológicos raramente são feitos em piscinas residenciais. Se tiver alguma dúvida, faça pelo menos o teste de coliformes fecais e contagem do número de bactérias;
  • Reagentes de testes fora de validade podem alterar consideravelmente a precisão das medições. Siga as instruções dos fabricantes e procure guardar os reagentes em lugares frescos e escuros;
  • O tricloro, usado na forma de pastilhas em flutuadores deve ser evitado em piscinas de vinil, pois ele vai atacar o vinil quando o flutuador encostar nas paredes da piscina;
  • Dureza da água de uma piscina é a quantidade principalmente de íons de cálcio e magnésio. No caso de piscinas somente existe interesse nos íons de cálcio. A probabilidade da formação de carbonato de sódio é grande e ele pode precipitar;
  • Uma das maneira práticas de se medir a turbidez é colocar um disco sechi no fundo da piscina e uma pessoa situada na borda da piscina enxergar plenamente este disco. Uma maneira profissional de se medir a turbidez é através do aparelho denominado de turbidímetro;
  • Os manômetros devem estar sempre em perfeito estado de funcionamento (o que quase sempre não acontece) para se fazer uma retrolavagem no momento certo. Portanto tenha os manômetros sempre em perfeito estado.